Tags

, , ,

Por Rudinei Borges

Nos últimos anos a MTV dividiu a sua programação em exibição de clipes de música oriundos dos Estados Unidos, programas de comédia e reality show importado. Com tantos “artistas” norte-americanos de qualidade duvidosa, como Justin Bieber e Lady Gaga, havia pouco espaço para a boa e inovadora música brasileira.

A MTV cumpria o inegável papel de reproduzir no ar o lixo musical da indústria cultural, com alguns momentos de respiro, exibindo clipes clássicos do universo pop e do rock. Salvavam-se interessantes acústicos com cantores brasileiros, como o inusitado Zii e Zie de Caetano Veloso, o improvável encontro entre os Paralamas do Sucesso com a Banda Calypso e os debates polêmicos de Lobão.

Falava-se pouquíssimo da cena musical independente brasileira. A MTV permanecia dominada pela produção de grandes gravadoras do eixo Rio-São Paulo, esquecendo-se do efervescente turbilhão cultural do restante do país. Diferentes vozes, diferentes sotaques eram raros na emissora.

Em 2011, parece que esta realidade passará por mudanças significativas. É o que tudo indica. A estréia do programa Na Brasa recoloca a discussão sobre o cenário musical brasileiro na programação da emissora, atraindo também um público desconfiado e distante da MTV.

O programa que estreou neste mês de março conta com a apresentação perspicaz de China, um pesquisador atento aos velhos e novos ares da música produzida no Brasil. Foi uma escolha acertada e corajosa numa grade de programação onde, até então, o provável era a ordem do dia.

Anúncios